The Tombs of Atuan – Ursula K. Le Guin

The Tombs of Atuan

Este é o segundo livro da série Earthsea. É a estória da jovem Tenar, ou Arha, a reencarnação da sacerdotisa chefe culto aos “Não nomeados (Nameless Ones)”, uma religião quase esquecida. Sua tarefa de vida é ser a guardiã das Tumbas de Atuan. E para os que leram o primeiro livro da série é oportunidade de reencontrarmos o mago Ged, mais conhecido como Sparrowhawk, que figura como personagem secundário na trama. (Leia sobre A Wizard of Earthsea)

É um livro que começa com um passo lento, e que tende a se manter por quase toda a narrativa. Mas isto não significa que seja entediante. Se passa praticamente numa única locação, isolada e claustrofóbica. A autora estabelece uma atmosfera introspectiva e sombria. Um livro que mostra o estilo de vida reservado das sacerdotisas que guardam os velhos rituais, conhecimentos e as tumbas, em si.

Ahra é confiante para alguns assuntos, mas muito insegura para outros e suas dúvidas e incertezas são projetadas de algum modo aos leitores. No decorrer da narrativa, se mostra uma heroína forte que descobre maneiras de confrontar graves questões. Ela foi doutrinada numa religião dura e antiga e muitos de seus preceitos colocam-na em dúvida sobre as decisões que deve tomar e como deve agir. É um tipo de história na qual a protagonista evolui seu entendimento sobre as coisas e sobre sua própria vida.

Como pano de fundo para a vivência da jovem está a terra de Earthsea, com sua magia poderosa, porém contida e rara, relacionada ao verdadeiro nome das coisas. Desta vez, estamos em uma das ilhas do império Kargish, mais especificamente, num templo arruinado no meio de um deserto e longe da civilização.

Se comparado ao primeiro livro, este é mais sombrio e ainda, há um troca de polarização de gênero. O primeiro fala de um universo masculino enquanto o segundo é predominantemente feminino. Mas há antagonistas bem interessantes, tanto humanas quanto sobrenaturais. Não é um livro de fantasia do tipo, espada e feitiçaria, com inimigos a derrotar e missões a cumprir. Na realidade Ged tem uma missão, que é recuperar o a metade perdida do anel de Erreth-Akbe, mas sua missão não é o foco da estória e sim a jornada interior de Tenar.

É uma bom livro de fantasia que, devido ao contraste com o primeiro livro, faz pensar que qualquer coisa pode acontecer nos próximos livros da série.

Os livros são: A Wizard of Earthsea (1968), The Tombs of Atuan (1971), The Farthest Shore (1972), Tehanu: The Last Book of Earthsea (1990) e The Other Wind ( 2001). Também foram produzidos uma mini-série de TV (http://www.imdb.com/title/tt0407384/) e um anime, Tales from Earthsea, do Studio Gibli, dirigido por Goro Miyazaki (filho de Hayao Miyazaki diretor de A viagem de Chihiro, Castelo Animado, entre outros).

Leia mais sobre Earthsea em: http://en.wikipedia.org/wiki/Earthsea

Veja um mapa de Earthsea: http://www.ursulakleguin.com/EarthseaMaps/

Mais sobre a autora em: http://www.ursulakleguin.com/UKL_info.html

3 / 5 stars     

Um comentário em “The Tombs of Atuan – Ursula K. Le Guin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *