Carlos Rocha – Entrevista

Saiu uma entrevista minha no Wattpad feita pela @A-leeh, para o projeto Entrevistados. Se você já é usuário da plataforma ou tem interesse em se inscrever, siga esse link para ler e comentar.  Caso queira apenas ler a entrevista, sem se cadastrar, aí está:

 

Olá mores o/ Tudo bem? Espero que sim!!

A nossa entrevista de hoje é com o escritor Carlos Rocha, que também é um dos Embaixadores do Wattpad.  Estão todos prontos para conhece-lo um pouco? Então vamos nessa!

*Antes de começamos nos fale um pouco sobre você:

Como começamos? Bem, prazer, meu nome é Carlos, moro em Belo Horizonte, mas já morei em muitas cidades como Salvador, Rio, Juiz de Fora, Resende, Brasília e São Paulo. Trabalho com tecnologia da informação, mas cursei Belas Artes, além de Ciência da Computação. Sou casado e tenho dois filhos fofos, uma menina de 5 anos e um menino de 2. Sou uma pessoa meio inquieta e multitarefa. Gosto filmes, séries, hqs, mangás, animes, mas acima de tudo, de livros, em especial, literatura fantástica. Além de escrever, gosto de desenhar, pintar e tocar piano. Ah, e como as multitarefas tendem ao infinito, também trabalho como embaixador do Wattpad ajudando a cuidar da comunidade FantasiaBR.

P: A quanto tempo você escreve? Quando descobriu seu amor pela escrita?

Escrevo desde 1996. Eu descobri que gostava de escrever por acaso. Na época que comecei a escrever meu primeiro livro, Olhos Negros,  na verdade estava trabalhando em um mangá. Eu já tinha criado todos os personagens e boa parte da trama. Então comecei a desenhar… Aí que deu problema. Eu estava ficando frustrado com a qualidade de várias cenas que tentava desenhar, como por exemplo, uma da Kiorina dançando com o Kyle num festival… Eu não acertava o desenho do vestido de jeito nenhum! Então, comecei a escrever a estória, pois as ideias estavam pipocando na cabeça. Descobri que escrever era muito mais rápido do que desenhar e que podia acrescentar muitas outras coisas que não conseguiria numa HQ. Então, quando já estava lá pelo capítulo 15 me dei conta que aquilo não era mais uma HQ e sim um livro. Daí para frente, nunca mais parei de escrever.

P: Carlos, quantas obras você tem postada? Pretende postar mais?

Tenho 18 obras postadas. E uma no meu perfil em inglês @charleshawkmoon. Sim, estou postando agora Lentes da Perdição,  que está concorrendo ao Wattys2016. E tenho mais dois romances prontos, e mais contos do Homem-Café  à caminho.

[ O Homem-Café é sensacional! ]

P: E você pretende publicar um livro por uma editora?

Sim, gostaria de publicar por uma boa editora quando vier uma oportunidade. Estou estudando um projeto de publicação através de uma editora que divide os custos de investimento na obra com o autor. As conversas já vão avançadas e acho que vai dar certo. Vamos ver!

[ Espero que dê certo moço!  ]

P: E você se considera um escritor de sucesso?

Sim, muito. Fiquei muitos anos, publicando meus livros através do meu site, http://www.selo-multiversos.com.br  Quase todo mês recebia e-mails de fãs, e naquela época já achava isso muito legal. Depois, com o Wattpad, aumentou muito meu número de leitores. E vem aumentando mais, a cada dia. Para coroar tudo isso, ano passado, Olhos Negros  foi um dos vencedores do Wattys2015. Fiquei muito feliz com isso e mais motivado a continuar perseguindo uma carreira literária. É claro, a gente sempre tem muito o que aprender. Eu costumo comentar com meus amigos que depois de ler autores como Fiodor Dostoievski (Irmãos Karamázov), James Clavell (Shogum), Agatha Cristie, etc, me sinto como um verme-escritor. Mas é importante ter sempre a aspiração de melhorar.

P: Já foi plagiado?

Não que eu saiba. Mas outro dia achei um perfil de uma pessoa que se cadastrou como Homem-Café e indica meus contos do personagem para serem lidos, como se ele fosse de verdade. Achei isso muito engraçado! 😀

P: Carlos, qual dica você deixa para quem está começando agora?

É o de sempre… Leia muito, escreva sempre que puder, tenha persistência. As vezes a vida fica complicada e fico meses sem escrever, mas tenho meu plano de voo, vejo que estou fora da rota e começo de novo. Estude técnica de escrita. Mostre o que escreveu. Aceite sempre as críticas e procure aprender com elas. Compre e leia muitas vezes esse livro maravilhoso: Oficina de Escritores,  de Stephen Koch.

P: Por que alguém deveria ler seu livro?

Sinceramente, eu indicaria outros escritores, como os que já citei e Brandon Sanderson, Michael Moorcock, Joe Abercrombie, etc… Mas, se quiser me dar uma chance, sei que criei personagens legais, que muitos leitores gostam, e que minhas tramas tem muitos mistérios e reviravoltas. Devo avisar que me acho bem melhor em romances do que em contos. Ainda tenho alguma dificuldade de sintetizar tudo que quero escrever nos contos. Fico mais à vontade escrevendo estórias maiores. Então, para aqueles que podem gastar um tempo maior, leiam meus romances, para quem tem menos tempo e quer se divertir um pouco, indico meus contos como os do Homem-Café, Toskémon,  etc.

P: Quais são suas manias de escritor?

Escrever dentro de ônibus sacolejando e depois ficar horas tentando decifrar meu garrancho. Me empolgar escrevendo algo, varar a madrugada e ficar um caco no dia seguinte. Escrever uns 5 livros ao mesmo tempo e ficar meio pirado com isso.

[ 🙂 ]

P: E você já teve bloqueio de escrita? Como superou ele?

Sim, várias vezes. É muito comum eu travar em algum ponto de um livro. O que eu faço é mudar de livro e depois retornar naquele. Mas quando nem isso funciona, o jeito é deixar um tempo passar. Já fiquei seis meses sem escrever nada e de repente, zap! Começo a escrever de novo com grande produtividade.

*Um livro que você recomenda:

Além dos que já citei até aqui. Gostei muito da trilogia da Primeira Lei  (First Law),  de Joe Abercrombie. O primeiro livro chama-se O Poder da Espada.  Se você ler este, acho que vai acabar lendo os demais. Puxa, que personagens incríveis tem nesse livro! Uma verdadeira aula de ficção.

P: Carlos, você prefere que tipo de leitor?

O que dá um sinal de vida… Pelo menos fico sabendo que ele existe, né?

*Deixe um pequeno trecho de uma de suas obras para nos instigar:

    Aqui vai um trecho de um livro inédito, Herdeiros de Kamanesh, que virá depois de Oráculo Esquecido.

“O portão veio abaixo e o demônio humanóide tomou um soldado na mãozorra e o atirou por cima do muro. A capitã focalizou o fluxo de Jii para sondar a mente da criatura. “Puro ódio”, pensou. O demônio tinha escamas como as de um lagarto, mas no lugar da boca uma espécie de bico de pássaro com dentes serrilhados. Tinha uns quatro metros de altura e deixara um rastro de destruição em seu caminho. Os olhos eram proporcionalmente minúsculos e seriam difíceis de alvejar, avaliou enquanto corria em direção da criatura a toda velocidade. Teria que pensar em alguma coisa, e rápido. Era grande e pesado. – Fradilize Rochus Oném!

Ela optou por um ataque indireto. O chão sobre a criatura, tornou-se quebradiço e com seu enorme peso ele afundou. Ela pensou “Espero não ter esmagado ninguém”.

P: A sua obra de Fantasia já concluída e vencedora do Wattys2015 – Olhos Negros, conta sobre o cavaleiro Kyle Blackwing e seus companheiros, Archibald e Kiorina, que investigam o nascimento de crianças de olhos negros, coreto? Dá onde veio a inspiração para está história? O que o leitor pode esperar desta obra? E seus personagens são inspirados em pessoas reais?

Boa pergunta! A inspiração para essa obra veio de duas fontes: meus jogos de RPG e animes/mangás. Eu já vinha jogando e criando esse universo da Terra das Nove Luas há alguns anos. Mas os personagens foram uma criação à parte, como se vivessem num mundo paralelo ao jogo. Eu criei esse núcleo de personagens focalizando na função deles na trama e no relacionamento que se desenvolveria entre eles. De fato, alguns dos personagens que criei logo no início, só apareceram na trama no segundo livro, Maré Vermelha.  O leitor pode esperar uma estória muito focada no desenvolvimento dos personagens, recheada de mistérios e contendo uma boa dose de reviravoltas. É um romance um pouco complexo e tem muitos personagens, mas pelo que retorno que já tive de muitos leitores, acho que consegui manter uma trama funcional e que prende a atenção, mesmo com tantos personagens, lugares e acontecimentos.

P: Entre escrever um grande livro cujo tema magoará uma pessoa muito próxima e querida ou jamais escrever um grande livro, o que você escolheria?

Não escrever.

P: Julga um livro pela capa?

Um pouco, sim. Especialmente os editados profissionalmente. Mas aqui no Wattpad, eu dou uma segunda chance, mesmo se a capa estiver ruim.

[ Entendi moço, faço da suas as minhas palavras! ]

P: E enquanto está a escrever, partilha sua história com alguém para pedir conselhos?

Não. Só quando já terminei.

P: Como conheceu o Wattpad? E como é para você fazer parte do grupo de embaixadores do site?

Eu conheci lendo um artigo numa revista. Entrei no mesmo dia e achei muito legal! Trabalhar como embaixador tem sido ótimo. É uma turma muito animada e disposta a apoiar o desenvolvimento desta incrível comunidade de escritores e leitores.

[ Isso é ótimo! ]

P: Carlos, o que você mais gosta e detesta neste site?

Que mais gosto é de tudo que tem a ver com compartilhamento. Escrever, ler, votar, comentar… Tudo de bom! O que não gosto está ligado à minha profissão. Eu trabalho com desenvolvimento de sistemas e conheço um bocado sobre interface de produtos. Tem várias coisinhas relacionadas a isso, como tamanho das caixas de texto, dos botões, e outras estratégias que me incomodam um pouco. Não por que seja soluções ruins, mas é por que eu tenho um olhar muito crítico quanto a isso e sou um usuário “pesado” da plataforma. Então eu sinto os “calos”, entende? Por outro lado, vejo que o pessoal técnico é muito capacitado e sempre vejo com bons olhos melhorias que são lançadas de tempos em tempos. Acho que daqui algum tempo, o produto vai ficar “redondo” e parar de me incomodar. Só ressaltando: é um pouco de chatice da minha parte.

*Deixe um recado para seus leitores:

Gente, muito obrigado a todos vocês! Fico muito feliz com cada um que decidiu dedicar algum tempo para ler alguma de minhas obras, sendo que existem zilhões de escritores muito melhores do que eu por aí. Me sinto muito honrado com isso. Obrigado!

  Agradeço ao carlosmrocha pelo seu tempo e participação! Desejo muito sucesso!

Bom, por hoje é isso pessoal! Espero que tenham gostado desta entrevista! Comentem aí. Nos vemos na próxima!

 Obrigada por lerem!

                Abraços

Um comentário em “Carlos Rocha – Entrevista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *